Como evitar fuga de garantias em crédito através da cessão fiduciária

5 formas de previnir fuga de garantias em crédito através da cessão fiduciária de recebíveis de cartões 

 

Fuga de garantias em operações de crédito é uma constante preocupação de financiadores, principalmente aqueles que trabalham com garantias associadas a direitos creditórios, como os recebíveis de cartões. Além disso, financiadores que atendem pequenas e médias empresas com produtos de conta garantida, crédito fumaça e antecipação de recebíveis, são os mais expostos a potenciais fugas de garantias.

 

Fuga de garantias é entendida como uma súbita desvalorização do ativo concedido como garantia ao crédito, ou a descoberta de sua inexistência no momento da execução do contrato. Em outras palavras, pela própria definição de fuga de garantias, em um cenário de “fuga”, as garantias “desaparecem” justamente quando são mais necessárias. Por isso, é tão temida por financiadores!

 

Neste artigo mencionamos alguns mecanismos que podem ser implementados por financiadores para prevenir fuga de garantias, mantendo a rentabilidade da carteira e o fluxo de originação de novos negócios.

 

Conheça o seu cliente antes de fechar o negócio e constituir as garantias via cessão fiduciária de recebíveis

 

No Brasil, os fraudadores muitas vezes possuem operações sofisticadas, que os permitem “investir” nos golpes até que haja uma oportunidade de lucrar uma quantia significativa de recursos. Neste contexto, um cliente aparentemente “comum”, pode se revelar um fraudador quando os valores do empréstimo justifiquem o risco.

 

Para mitigar o risco de fugas de garantias, é essencial investir em processos de “know your customer” (KYC) e  “know your business” (KYB) como a validação de identidade, o cruzamento de informações em distintas fontes (ex: histórico criminal, relacionamento cruzado entre distintas companhias, etc.), dentre outros.

 

Para quem trabalha com pequenas e médias empresas, ainda há a possibilidade de contato pessoal e a construção de um relacionamento, porém, caso a intenção seja de escalar para milhares de clientes, esses processos de prevenção à fraude precisam ser realizados digitalmente. Hoje, já existem muitas ferramentas de mercado que atendem a esses casos de uso.

 

Entenda a necessidade do seu cliente e sua disponibilidade de garantias

 

Um dos mecanismos mais comumente utilizados para mitigar os efeitos negativos das fugas de garantias, é de começar com limites baixos e ir aumentando a concessão de acordo com a frequência de parcelas pagas, o que reduz o incentivo de um fraudador cometer um golpe, dado que terá que investir um tempo significativo para que sua fraude valha a pena.

 

O desafio é que alguns potencialmente bons pagadores podem precisar de limites maiores, mas muitos modelos de crédito não ajudam o financiador a fazer essa separação entre bom pagador e mau pagador, sem incorrer na experiência de acertos e erros.

 

Neste contexto, fontes de dados recentemente disponíveis como dados transacionais, tickets médios, frequência de vendas e assim por diante, podem ser valiosos para destravar novos negócios. Entretanto, não é simples desenvolver conexões e conciliação dessas informações com recebíveis e contratos dos clientes, que permitiriam um uso facilitado e recorrente por parte dos times de análise de risco e de análise de dados. Esse é justamente um dos principais casos de uso da plataforma da Destrava Aí, que concilia o registro de recebíveis com dados transacionais associados às notas fiscais e os fornece de forma simplificada via APIs “developer friendly”. Usando a Destrava Aí, é possível começar as integrações em poucos dias.

 

Certifique-se que os registros das garantias foram efetivados para previnir sua perda

 

Como comentamos na introdução do artigo, a dinâmica recentemente implementada pelo BACEN, que explicamos neste e neste artigo, tem como objetivo mitigar a fuga de garantias nos direitos creditórios de recebíveis de cartões.

 

O mecanismo implementado pelo BACEN é de realizar a “trava das garantias” no ambiente de registro, porém, esse processo está longe de ser trivial. Apesar de existirem 4 registradoras que compartilham informações entre si, são centenas de credenciadores e nem todos tem a mesma interpretação da norma vigente. O que significa que é preciso “garantir as garantias”, ou seja, fazer uma análise dos dados após o contrato estar efetivado, para confirmar que a operação foi considerada.

 

Novamente, a plataforma da Destrava Aí ajuda a simplificar o processo de trava das garantias como integrador de financiadores e aplica uma série de regras de consistência nos recebíveis associados aos contratos, para prevenir uma interpretação que gere fuga de garantias.

 

Faça um monitoramento ativo para controlar os valores dos recebíveis associados às garantias

 

Trabalhar com garantias de recebíveis de cartões tem por essência uma natureza dinâmica na qual “até o passado é incerto”. Todos os dias as agendas de recebíveis sofrem alterações, tais como:

 

  • Novas vendas são geradas em distintos credenciadores e arranjos de pagamentos;
  • Novos contratos com credenciadores são feitos pelas empresas. Esse caso que, as vezes é tido como um possível cenário de fraude, as vezes é feito pela natureza do próprio negócio, como por exemplo, devido à empresa cliente ofertar um novo canal de vendas (ex: criar ofertas em marketplaces);
  • Chargebacks podem afetar negativamente os valores dos recebíveis de cartões e esses valores precisam ser monitorados.

 

Em resumo, o monitoramento ativo é indispensável para o financiador que trabalha com pequenas e médias empresas e quer aproveitar a oportunidade única de constituir garantias nessa classe de ativos, os recebíveis de cartões que representam mais de R$ 2 trilhões por ano em liquidez.

 

Assim, como na execução e análise de consistência, a Destrava Aí também ajuda no monitoramento diário das garantias associadas a contratos, com dezenas de regras construídas com base na experiência de contratos efetivados (e portanto, seguem evoluindo constantemente).

 

Implemente controles de conciliação para garantir o recebimento das parcelas

 

Da mesma forma que existem alterações nos valores de registro de recebíveis de cartões, as liquidações efetivamente realizadas podem sofrer alterações de valores e prazos. Ou seja, o credenciador pode pagar atrasado ou com valores divergentes (inclusive divergentes do próprio registro).

 

Neste contexto, é importante uma gestão ponta a ponta do recebimento das garantias constituídas em contratos, para identificar que houveram pagamentos realizados nas contas, da maneira correta.

 

Conclusão - É possível evitar a fuga de garantias em operações com cessão fiduciária de recebíveis de cartões

 

Como explicamos no artigo, a fuga de garantias pode ser evitada, porém, sua solução não é nada trivial. Trabalhar com recebíveis de cartões exige dos financiadores sofisticação em tecnologia, com consolidação e conciliação de fontes distintas de informação e um monitoramento automatizado de garantias.

 

Porém, a oportunidade é gigantesca e nossa solução, com formato “pague pelo uso”, permite com que sejam feitos testes em volumes menores, para que você financiador foque em gerar mais negócios e aprimorar os modelos de crédito, para uma correta precificação das operações de crédito com garantias de recebíveis de cartões.

 

Continue acompanhando nosso blog e fique por dentro de tudo que acontece no mercado de registro de recebíveis de cartões!

Veja Também

Conheça 5 registradoras de recebíveis autorizadas pelo Banco Central

22 nov, 2022

Confira a nova regulação de arranjos de pagamentos publicada em 2022

9 dez, 2022

Registro de recebíveis de cartões: um resumo para iniciantes!

13 nov, 2022

O que são arranjos de pagamentos?

27 dez, 2022